Siga-nos:

As 10 mulheres mais ricas da Europa

 
Carreira & Dinheiro

As 10 mulheres mais ricas da Europa

As mulheres mais ricas da Europa

A conceituada revista americana Forbes revelou, no Verão de 2008, a lista das 10 mulheres mais ricas da Europa – conheça-as!

  1. Liliane Bettencourt: filha de Eugene Schueller, fundador da empresa de cosméticos L'Oréal, é a mulher mais rica da Europa com uma fortuna avaliada em cerca de 16 mil milhões de euros (cerca de 40 mil milhões de reais). Apesar de tão valiosa fortuna, Liliane Bettencourt, que é viúva, dedica-se a causas muito nobres – nomeadamente a Fundação Bettencourt Schueller – que presta assistência médica e desenvolve projectos de educação em França, mas também em países sub-desenvolvidos.
  2. Birgit Rausing: uma viúva sueca que, juntamente com os três filhos é proprietária da empresa de embalagens Tetra Laval, o que contribui para um legado que ronda os 10 mil milhões de euros (cerca de 25 mil milhões de reais), deixado pelo marido, Gad Rausing, falecido no ano de 2000. Depois da tentativa de rapto de um dos seus filhos em 1989, a família adoptou um estilo de vida bem mais discreto do que levava até então.
  3. Susanne Klatten: de origem alemã, a sua fortuna está avaliada em aproximadamente 9,5 mil milhões de euros (cerca de 23 mil milhões de reais), proveniente da participação que detém no gigante BMW e que lhe foi deixada pelo pai. Economista de formação e com um MBA, Susanne detinha ainda acções na empresa química Altana (também um legado do pai), mas optou por vender a divisão farmacêutica da mesma, o que lhe rendeu, nada mais, nada menos, que 4 mil milhões de euros (cerca de 10 mil milhões de reais).
  4. Charlene de Carvalho Heineken: o nome diz tudo – Charlene tem nos cofres cerca de 5,2 mil milhões de euros (cerca de 13 mil milhões de reais) graças à participação de 25% que detém na cervejeira holandesa Heineken. Para além da empresa familiar, Charlene dedica-se aos 5 filhos e às suas outras grandes paixões: arquitectura, fotografia e música.
  5. Antonia Johnson: empresária sueca que seguiu as pegadas do pai ao assumir as rédeas do grupo Axel Johnson em 1982, uma empresa que opera em mercados tão distintos como a energia, as telecomunicações e o mercado imobiliário. Fruto de todo esse trabalho é uma fortuna avaliada em cerca de 5 mil milhões de euros (cerca de 12,5 mil milhões de reais). Com licenciatura e mestrado nas áreas da psicologia e da administração, respectivamente (Universidade de Estocolmo), Antonia é ainda doutorada em direito pela Bishop’s University, no Canadá.
  6. Johanna Quandt: ex-secretária e viúva de Herbert Quandt, o responsável por reerguer a gigante BMW, impedindo assim uma falência iminente na década de 60 do século passado. Depois da morte do marido, a alemã deixou a empresa, mas detém 17% da mesma, o que lhe confere uma riqueza confortável de aproximadamente 4,2 mil milhões de euros (cerca de 10,5 mil milhões de reais). Muito reservada, Johanna vive discretamente e nem ela, nem os dois filhos Stefan e Susanne (que curiosamente ocupa o 3º lugar desta lista!) concedem entrevistas.
  7. Alicia Koplowitz: esta espanhola herdou, juntamente com a sua irmã Esther, a empresa familiar FCC-Fomento de Construcciones Y Contratas. Alicia acabou por vender a sua parte à irmã, investindo depois numa diversidade de negócios que já lhe valeram aproximadamente 3,7 mil milhões de euros (cerca de 9,2 mil milhões de reais). Alicia é mãe de três filhos e dedica-se ainda às duas fundações que criou – a Fundación Vida y Esperanza (que apoia doentes com esclerose múltipla) e a Fundación Alicia Koplovitz (que, entre outras coisas, atribui bolsas de investigação a médicos especializados em psiquiatria infantil).
  8. Elena Baturina: esposa do presidente da Câmara Municipal de Moscovo, Yuri Luzhkov, esta russa começou por ser uma simples funcionária de fábrica, até fundar a sua própria empresa – a Inteko – que já lhe valeu esta oitava posição e uma fortuna avaliada em 3 mil milhões de euros (cerca de 7,5 mil milhões de reais).
  9. Madeleine Schickedanz: filha dos fundadores da loja de departamento e de venda por catálogo “Quelle Versand”, esta alemã vive muito confortavelmente, com um cofre recheado de 2,7 mil milhões de euros (cerca de 6,7 mil milhões de reais). Mãe de quatro filhos, depois de uma das filhas – Catarina – ter vencido a luta contra a leucemia, criou a Fundação “Madeleine Schickedanz KinderKrebs-Stiftung” que trabalha com crianças que sofrem de cancro.
  10. Heidi Horten: viúva de Helmut Horten – o fundador da famosa rede de lojas de departamento “German” – a austríaca herdou um legado de aproximadamente 2,6 mil milhões de euros (cerca de 6,5 mil milhões de reais) e divide os seus dias entre as suas duas casas na Áustria e o seu iate “Carinthia VII” – considerado um dos maiores do mundo!
Comentários (0)