Siga-nos:

12 coisas sobre o orgasmo que talvez não sabia

 
Sexo & Amor

12 coisas sobre o orgasmo que talvez não sabia

A palavra orgasmo vem do grego "orgasmos”, que significa “inchar com humidade, estar excitado ou ávido”. Não sabia? Descubra mais algumas curiosidades sobre o grande “O”, que provavelmente desconhece.

  1. Regra geral, os homens precisam de 2 a 10 minutos para atingir o orgasmo, enquanto as mulheres necessitam de 20 minutos ou mais – as coisas boas são para serem saboreadas, não é verdade?
  2. E vale a pena a espera, uma vez que o orgasmo feminino dura mais tempo do que o masculino, podendo ser desfrutado durante uns longos e deliciosos 15 segundos!
  3. Embora em termos de intensidade os orgasmos feminino e masculino sejam parecidos, há uma grande diferença: o orgasmo da mulher manifesta-se através de ondas de prazer, enquanto o orgasmo do homem surge como um único e intenso pico de prazer.
  4. Nem todas as mulheres experimentam a ejaculação feminina, por isso nem todas sabem o que é: trata-se da ejaculação, durante o clímax, de cerca de uma colher de chá de um fluido claro e adocicado.
  5. Quanto mais velhas ficamos, menos tempo vão durar os nossos orgasmos, por isso, toca a aproveitar!
  6. Embora sejam muitas vezes fingidos, existem provas físicas que um orgasmo está a acontecer: o batimento cardíaco aumenta, a respiração torna-se mais forte e até ofegante, as pupilas ficam dilatadas, a pele aquece e fica vermelha, sentem-se espasmos musculares em torno dos órgãos genitais… afinal, não é assim tão fácil fingir!
  7. No final de um orgasmo, é natural que tanto mulheres como homens sintam uma maior sensibilidade nos órgãos genitais.
  8. Geralmente, o orgasmo feminino desencadeia ondas de prazer em direção ao estômago, o que se diz que ajuda a guiar os espermatozoides até aos óvulos. Porém, durante a menstruação, as contrações orientam-se na direção oposta.
  9. Quem nunca fez expressões faciais estranhas no momento de um orgasmo intenso, que levante o dedo no ar! E sabem porquê? Porque as zonas do cérebro que controlam a dor e o orgasmo sobrepõem-se nesse instante. Para além disso, nesse momento tornamo-nos mais insensíveis à dor, pelo menos em 50%.
  10. O G do “ponto G” significa Gräfenberg, o nome do homem que estudou a matéria e o primeiro a escrever sobre o mítico “ponto G” em 1950. Outros pontos a ter em conta para assegurar orgasmos intensos incluem o “ponto A” (localizado na parede vaginal, um pouco depois do “ponto G”) e o “ponto U” (ao lado da uretra).
  11. Um em cada três homens, com idades compreendidas entre os 18 e os 59 anos, sofre de ejaculação precoce. Esperamos que nunca lhe tenha acontecido, mas se sim, há que ter paciência… e porque não experimentar novas posições sexuais?
  12. Se ainda não se convenceu, está na hora de se convencer de uma vez por todas que, para além de saberem muito bem, os orgasmos fazem bem à saúde: estimulam o sistema imunitário e os níveis de longevidade, e ainda ajudam a reduzir o risco de cancro e doenças cardíacas.
Comentários (1)
Marcia Tatiana
Sábado, 27/04/2013 - 10:49
Não sei como é sentir um orgasmo.