Siga-nos:

25 figuras femininas históricas

 
Cultura & viagens

25 figuras femininas históricas

Mulheres famosas

Para celebrar o Dia Internacional da Mulher – 8 de Março – compilamos uma lista de 25 figuras femininas históricas que marcaram o mundo graças às suas vidas e feitos extraordinários. Embora extremamente curta, esta lista é suficientemente rica para servir de inspiração às mulheres do século XXI. Feliz Dia da Mulher a todas!

  1. Amelia Earhart: aviadora pioneira, estabeleceu inúmeros recordes no universo da aviação antes de ter desaparecido nos céus em 1937 quando tentava dar a volta ao mundo. Enquanto mulher de coragem e numa época em que os movimentos femininos organizados perdiam o seu fôlego, serviu de motivação para que estes continuassem as suas lutas. 
  2. Anne Frank: quem nunca leu o diário desta jovem adolescente judeia que, embora se tenha escondido dos Nazis durante muito tempo, não sobreviveu ao campo de concentração depois da sua captura – uma vida inesquecível, um relato de esperança no seio de um dos capítulos mais negros da humanidade.
  3. Catarina, A Grande: depois de ter destituído o marido dos seus poderes governou a Rússia com uma mão de ferro, conseguindo a expansão do país até à Europa Central e às margens do Mar Negro.
  4. Charlotte Brontë: uma das três irmãs Brontë – escritoras brilhantes do século XIX – Charlotte ficou célebre pela sua obra “Jane Eyre” – baseada nas suas próprias experiências pessoais. Um talento excepcional que desapereceu demasiado cedo.
  5. Cleópatra: a última Faraó do Egipto foi, literalmente, uma mulher de armas – as suas famosas ligações românticas a Júlio César e Marco António ficam para segundo plano quando lembramos que esta mulher preferiu morrer ao ser capturada quando depois de uma longa batalha não conseguiu salvar o Egipto de cair nas mãos dos romanos.
  6. Coco Chanel: um ícone da moda e uma das melhores estilistas do século XX, revolucionou a forma como as mulheres se vestiam, servindo de inspiração ainda hoje, não estivesse o seu legado ainda bem vivo, assim como as suas célebres palavras – "A moda é feita para passar de moda".
  7. Diana, a Princesa de Gales: conhecida como a “Princesa do Povo” entrou nos nossos corações graças ao seu romance conto-de-fadas, às dificuldades vividas num casamento muito público e pouco feliz, ao seu trabalho humanitário incansável e à sua morte que veio cedo demais.
  8. Eleanor Roosevelt: esposa do presidente dos Estados Unidos, Franklin D. Roosevelt, foi os seus “olhos e ouvidos” quando o presidente deixou de poder viajar devido à sua invalidez. Deu particular atenção aos direitos cívicos – muitas vezes com uma visão muito mais à frente do que à do seu marido e dos americanos em geral – e foi um elemento chave na constituição da Declaração Universal dos Direitos Humanos das Nações Unidas.
  9. Elizabeth Blackwell: foi a primeira mulher no mundo a licenciar-se em medicina e, a partir de então, dedicou-se à educação feminina na área da medicina.
  10. Florence Nightingale: quase se pode dizer que se deve a esta senhora a invenção da profissão de enfermeira, tendo sempre trabalhado no sentido de estabelecer condições de higiene e segurança nos hospitais militares, numa altura em que era mais frequente os soldados morrerem de infecções do que das próprias lesões de combate.
  11. Golda Meir: política e activista dos direitos dos trabalhadores, foi a quarta primeira-ministra de Israel e a segunda mulher a exercer esse cargo no mundo. Foi durante o seu mandato que se travou, entre israelitas e árabes, a Guerra Yom Kippur.
  12. Indira Gandhi: seguiu as pegadas do pai como primeira-ministra da Índia, trabalhando arduamente no desenvolvimento do país até ser assassinada em 1984. Dois dos seus filhos também seguiram o seu exemplo.
  13. Isadora Duncan: deve-se a esta mulher a introdução da dança contemporânea ao mundo durante o final do século XIX e início do século XX, tendo fundado várias escolas de dança um pouco por todo o globo. Viveu e morreu envolta de várias tragédias (perdeu 3 filhos em acidentes trágicos e o marido suicidou-se; ela própria morreu acidentalmente), mas sempre brilhou em cima do palco, onde teve a coragem de se exibir sem pudores (mostrando pernas e braços numa época de grande pudor) e encantar fãs em todo o mundo.
  14. Katharine Hepburn: uma das mais aclamadas actrizes do seu tempo (ganhou 4 Óscares), protagonizou vários papéis de mulheres fortes e independentes, contrariando a ideia de que eram os papéis femininos “tradicionais” que vendiam mais bilhetes de cinema.
  15. Lucille Ball: conhecida pelos seus papéis de grande sucesso em séries televisivas, também encheu a grande tela de Hollywood várias vezes, ficando ainda conhecida por ser uma empresária muito bem-sucedida – sabia que foi a primeira mulher proprietária de um estúdio de cinema? 
  16. Madre Teresa de Calcutá: natural da Jugoslávia, entregou-se desde muito cedo à sua vocação religiosa, onde sobressai uma vida inteira dedicada a ajudar os pobres. Por isso, e muito justamente, ganhou o Prémio Nobel da Paz.
  17. Margaret Thatcher: foi a primeira mulher a ocupar o cargo de primeira-ministra na Europa, sendo ainda o político que mais tempo ocupou esse cargo em Inglaterra desde 1827. Ficou especialmente conhecida pela retoma britânica das Ilhas Falkland da Argentina.
  18. Margaret Sangre: depois de verificar, de perto e ao vivo, o sofrimento das mulheres que se viam confrontadas com gravidezes não planeadas e indesejadas, dedicou a sua vida à enfermagem e a ajudar a população feminina a obter informação sobre e medicamentos contraceptivos.
  19. Maria Eva Duarte de Peron: mais conhecida como Eva Peron or Evita Peron, foi uma actriz que, depois de ter casado com o argentino Juan Peron ajudou-o a conquistar a presidência do seu país, passando a dedicar-se ela mesma, e com grande paixão, à política e aos direitos dos trabalhadores.
  20. Marie Curie: a primeira mulher cientista de relevo reconhecida como tal, é considerada a “mãe da física moderna” graças ao seu importante trabalho de investigação na área da radioactividade. Ganhou dois prémios Nobel – da Física, em 1903; e da Química, em 1911.
  21. Marilyn Monroe: a mulher pin-up mais famosa de sempre, poucas devem saber que a actriz foi descoberta enquanto trabalhava numa fábrica de defesa da II Guerra Mundial e, a partir de então, emprestou um glamour nunca visto às mulheres dos anos 40 e 50.
  22. Mary Shelley: escritora britânica e autora da célebre obra “Frankenstein”, sabia que ela escreveu o livro porque foi uma aposta feita entre o seu marido, o poeta Percy Shelley e o amigo deste, Lord Byron?
  23. Rachel Carson: pioneira do movimento ambientalista, esta escritora, cientista, biólogo marinha, ecologista e ambientalista não descansou enquanto não sensibilizou os americanos e o mundo para as questões ambientais. Felizmente, conseguiu.
  24. Sally Ride: foi uma tenista de renome que trocou o desporto pela física, acabando por ser a primeira mulher astronauta americana a viajar para o espaço. Continuou a sua carreira na NASA e como professora de ciência.
  25. Virginia Woolf: escritora britânica de renome, no início do século XX, as suas palavras, nomeadamente a memorável obra "A Room of One's Own," afirmavam, defendiam e incentivavam o potencial criativo de todas as mulheres.
Comentários (2)
carlos deJesus Sampaio
Sexta, 23/08/2013 - 06:45
Os seus ponto de vistas contribau para socidade timorense na formacaoa da cidadania.
Gabriela Muniz
Domingo, 16/11/2014 - 15:38
Todas históricas e importantes, assim como muitas outras mulheres que não estão na lista. Vale lembrar que Mary Shelley era filha da Mary Wollstonecraft, uma das primeiras a defender o movimento e princípios feministas.