Siga-nos:

Como evitar um mau corte de cabelo

 
Beleza

Como evitar um mau corte de cabelo

Corte de cabelo

Já aconteceu a todas nós: entrar na cabeleireira com uma ideia fixa do nosso próximo penteado, por vezes até com fotografias de exemplos em punho, e sair de lá com um look de fugir… para casa, onde ninguém nos pode ver e podemos tapar todos os espelhos. Da próxima vez que for à tesoura, vá com a lição estudada.

Tenha uma cabeleireira de confiança. Isso quer dizer que não deve abrir a lista telefónica e escolher uma à sorte, mas sim pegar no telefone e perguntar a todas as suas amigas quem recomendam e porquê. Uma vez encontrada essa “fada do cabelo”, trate-a bem e não a largue por nada neste mundo!

Testar antes de usar. Claro que pode acontecer ter de trocar de cabeleireira (pelos mais variados motivos) e aí terá de voltar às sempre preciosas referências. Mesmo assim há que ter cuidado: na primeira marcação faça algo simples como lavar e secar ou cortar as pontas… não vai querer fazer nada muito drástico na primeira vez que entrega os seus cabelos a uma nova cabeleira, pois não? Assim, pode observar o ambiente, a forma como trabalham e como é atendida. No final cabe-lhe a si decidir se vai ou não voltar.

Imagens realistas. Não leve fotografias de modelos ou actrizes e esperar que a sua cabeleireira consiga reproduzir fielmente esse corte em si. Grande parte dos penteados que enchem as revistas de moda são fruto de horas e horas de produção fotográfica, com batalhões de cabeleireiros a trabalhar para que, por vezes, só no final do dia se consiga (finalmente!) fotografar aquele penteado perfeito. Para além disso, nem todos os cortes ou penteados favorecem todas as mulheres, ou seja, adora o novo corte pixie da Victoria Beckham, mas esse pode não favorecer os traços do seu rosto! Utilize essas fotografias como orientadoras, pedindo à sua cabeleireira a sua opinião profissional e sugestões sinceras.

Alterações drásticas. Em momentos depressivos ou quando as hormonas estão quase a saltar-lhe do corpo de tão ansiosas que estão ou quando acorda com vontade de mudar drasticamente de visual... não o faça. Tomar a decisão de cortar o seu cabelo comprido super curto de um momento para o outro só porque está em baixo pode não ser a melhor solução. Quando não se sente a 100% é importante não fazer alterações drásticas no seu visual... é que quando for tarde de mais, já não haverá nada a fazer. Nesses dias, mantenha-se bem longe das tesouras... é preferível esperar algum tempo para se certificar dessa mudança do que esperar que o cabelo cresça.

Planeamento fio a fio. Se sabe que quer mudar de penteado, mas não sabe muito bem como, passe pelo salão da sua cabeleireira numa altura do dia que seja mais calma e conversem. Vejam os catálogos de estilo e peça-lhe algumas sugestões. Em alternativa, vá a uma loja de perucas e experimente várias, tirando fotografias daquelas que mais gostou para poder mostrar à cabeleireira e saber a sua opinião profissional. No que toca ao cabelo, todo o planeamento é pouco.

O cabelo e a comunicação. Uma vez sentada numa cadeira do salão, comunique directamente à sua cabeleireira o que quer e o que não quer: ela não consegue ler a sua mente! Por outro lado, e por mais confiança que tenha nessa profissional, nunca lhe dê “carta branca” – para muitas cabeleireiras isso significa cortar até já não haver mais nada para cortar e, no final, é você quem terá de conviver com a imagem do espelho! Seja o mais específico possível e se algo não lhe parece bem, diga-lhe. Se entretanto decidir que não vai querer cortar, não o faça. Pode não sair do salão uma nova mulher, mas pelo menos não sairá com vontade de se esconder...

Relação cliente-cabeleireira. Esta pode ser uma relação sagrada para muitas mulheres, afinal de contas, estamos a falar da pessoa que garante que o nosso cabelo esteja sempre fantástico. No entanto, há limites. Se de cada vez que se senta na cadeira, a sua cabeleireira corta sempre (e sem querer…) mais do que pediu ou não respeita o seu pedido inicial, fazendo alterações ao corte sem lhe consultar, pode fazer três coisas: calar-se e aceitar; falar honestamente com ela; mudar de cabeleireira. Se a sua estilista de cabelos estiver constantemente distraída quando chegar a sua vez de ser atendida – a falar com outras clientes, a atender o telefone vezes sem conta – precisa de falar com ela. Diga-lhe que não se importa de esperar a sua vez e de pagar o seu trabalho, mas o seu cabelo é-lhe muito importante e quando estiver sentada naquela cadeira exige a sua total atenção. Ela perceberá.

Tesouras amadoras. Nunca corte o seu próprio cabelo. Pode parecer muito fácil aparar as franjas ou dar um jeito no volume, mas não é e certamente não vai querer ver o resultado. Por outro lado, nunca dê as tesouras a uma amiga, a não ser que ela seja uma cabeleireira profissional e conheça bem o seu trabalho. Se não for o caso, esqueça. Não vale a pena estragar o cabelo e perder uma amiga por causa de tesouras amadoras.

Comentários (0)