Siga-nos:

Como sobreviver às alergias de Primavera

 
Saúde & Bem-estar

Como sobreviver às alergias de Primavera

A Primavera traz-nos tantas coisas boas: dias mais compridos, mais solarengos, roupa mais leve e fresca, um ar saudável e feliz… mas também olhos, nariz e gargantas irritadas, espirros incessantes, pacotes e pacotes de lenços usados e uma tosse incomodativa. É nesta altura que graças ao pólen que anda no ar, as alergias primaveris surgem e ameaçam estragar uma das épocas mais bonitas do ano. Seja uma sobrevivente.

As causas. O tormento das temidas alergias primaveris está bem fundamentado: em primeiro lugar, esta fase passou a ser mais longa do que o habitual, uma vez que a Primavera passou a chegar cada vez mais cedo. Em segundo lugar, e como todas nós sabemos, as plantas precisam de sol, água, calor e dióxido de carbono para florescerem. Nos últimos anos, devido ao aquecimento global, estas têm recebido doses extras dos dois últimos ingredientes o que tem aumentado, em grande escala, a produção da flora, o que resulta em muito mais pólenes a flutuar no ar. Por último, a sempre presente e crescente poluição não combina muito bem com o pólen, ajudando no seu transporte e na sua absorção pelos nossos corpos. O resultado? Olhos vermelhos e lacrimejantes, garganta irritada, vias respiratórias entupidas, nariz a pingar, comichões generalizadas. Não é bonito de ser ver, nem de sentir.

Mantenha-se informada. Se tem por hábito verificar o estado do tempo para o dia seguinte (para decidir o que vai vestir, por exemplo), vá mais longe e consulte o Boletim Polínico (em Portugal: www.spaic.pt; no Brasil: www.sbai.org.br) para saber qual o nível de concentração dos pólenes. Nos dias em que esses índices estão mais elevados, previne-se com a medicação adequada (ver abaixo); e tente passar o mínimo tempo possível ao ar livre (nomeadamente em espaços verdes).

Óculos escuros. Para além de ser um acessório estiloso e perfeito para proteger os olhos da claridade dos dias primaveris, os óculos de sol são ainda o melhor amigo de quem sofre de alergias nesta altura do ano – protegem os olhos dos irritantes pólenes, evitando uma vista lacrimejante e irritada.

Janela protectora. Se sofre de alergias de Primavera, mantenha as janelas e portas de casa fechadas, principalmente nos dias em que a concentração de pólenes é mais elevada. Para arejar as divisões, pode utilizar o ar condicionado, mas certifique-se que este tenha um filtro adequado e que é limpo periodicamente. O mesmo aplica-se a viagens de automóveis – mantenha os vidros fechados. Evite andar de mota ou de bicicleta, mas se o fizer, não descure uma protecção para o rosto e olhos. 

Casa limpa. Mantenha a casa o mais limpo possível, para evitar a acumulação de pó habitual (um agravante dos sintomas alérgicos), mas também do “pó dos pinheiros” tão típico desta altura e que torna todas as superfícies verdes. Não descure os vidros das janelas e peitoris, assim como as varandas – mantenha-se calçada e, se necessário, utilize uma máscara e/ou óculos escuros para efectuar esta limpeza e não agravar os sintomas. Ao limpar o exterior, para além de evitar a passagem de pólenes e pós para o interior da casa, mantém o espaço limpo para poder colocar a sua roupa a secar. A secagem de roupa no exterior deve ser feita o mais rapidamente possível, ou seja, não deixe a roupa lá fora mais do que estritamente necessário e, preferencialmente, faça-o de noite.

Plantas perigosas. Se tiver plantas no interior de casa, deve cobrir a terra dos vasos com gravilha, para evitar a formação de bolores e de outros alergénios que podem desencadear uma crise alérgica.

Mude de roupa. Mal chegue a casa, limpe bem os pés e sacuda ou passe uma escova pela sua roupa, mudando entretanto de vestuário para evitar espalhar pólenes e pó por toda a casa. Nesta fase, poderá ser uma boa opção lavar mais vezes o vestuário e com água morna ou até quente para eliminar eficazmente todos os ácaros, pólenes e pó acumulados no exterior (consulte as etiquetas da roupa para verificar a sua temperatura máxima de lavagem).

Banho nocturno. Se ainda não é um hábito seu, tente adoptá-lo: lave o cabelo à noite. Assim, não vai apenas eliminar o pó e o pólen com os quais possa ter estado em contacto ao longo do dia, evitará passá-los para os lençóis da cama. Quanto mais limpo estiver o seu ambiente, mais fácil será controlar as alergias, evitando o agravamento dos sintomas. No banho, utilize sempre sabonetes e champôs neutros e suaves – ao esfregar demasiado o corpo, com produtos abrasivos, pode eliminar a camada de células que protegem a pele, facilitando a penetração dos alergénios.

Apague o cigarro. Se é fumadora, saiba que o fumo do tabaco agrava os sintomas das alergias primaveris, principalmente aqueles relacionados com o sistema respiratório. Pode ser uma boa altura para tentar deixar de fumar.  

Medique-se. Os anti-histamínicos são, por norma, a medicação mais receitada a quem sofre de alergias primaveris; este medicamento é ainda conhecido por provocar sonolência em algumas pessoas, por isso, deve optar por um que não tenha esse efeito secundário associado (já existem) ou então escolha a hora de se deitar para o tomar. Actualmente, existe ainda a opção da medicina preventiva, ou seja, uma vacina antialérgica para tomar antes do início da estação. Em ambos os casos, consulte o seu médico antes de qualquer administração.

Comentários (0)