Siga-nos:

Expulse as estrias!

 
Saúde & Bem-estar

Expulse as estrias!

Mulher estrias

A segunda maior preocupação do corpo feminino logo a seguir à celulite, são as estrias. Afectando 7 em cada 10 mulheres, as estrias são lesões cutâneas que podem ter múltiplas causas, mas felizmente também já existem várias soluções para as travar e minimizar. Acima de tudo, é na prevenção que está o ganho e uma pele imaculada.

À flor da pele

As estrias, linhas vermelhas e esbranquiçadas pouco estéticas que fazem lembrar cicatrizes, surgem à superfície da pele – nomeadamente na zona dos glúteos, coxas, anca, barriga e peito – e são a consequência directa de uma lesão cutânea. Elástica, mas nem tanto, a nossa pele nem sempre consegue acompanhar as alterações do corpo e, quando as células – compostas por colágeno e elastina – que sustentam a pele não suportam a pressão exercida sobre a mesma, dá-se uma autêntica ruptura. Inicialmente, as estrias apresentam-se com um tom rosado/avermelhado devido ao rompimento dos vasos sanguíneos, o que indica que são recentes. Esta é a melhor altura para tratar as estrias porque uma vez que as células continuam vivas, a sua capacidade regeneradora é maior. Com o passar do tempo, as estrias tornam-se esbranquiçadas e ganham esse aspecto porque, como as células estão mortas, não é possível produzir melanina (a substância que dá cor à pele) nessa zona do corpo. Para além da falta de cor, regista-se uma diminuição na espessura da própria pele e a formação de pequenas “covinhas”, o que confere à estria um aspecto de cicatriz. Embora não haja cura para as estrias, existem várias formas de atenuar e melhorar o seu aspecto.

Quem é o culpado?

As causas do aparecimento das indesejadas estrias são várias:

  • Genética: uma pele elástica e resistente que tenha abençoado as mulheres da sua família, de geração em geração, pode salvá-la da infiltração das estrias no seu corpo…ou vice-versa. 

  • Alterações hormonais:
    a adolescência é marcada pelo aumento da produção de estrógeno e progesterona, bem como pela fase dos “pulos de crescimento” e este descontrole hormonal pode fragilizar as fibras de colágeno e elastina, o que permite a distensão dos tecidos.
  • Alterações de peso: quem emagrece ou engorda rapidamente e/ou excessivamente tem uma maior probabilidade de registar estrias na pele, uma vez que estas variações de volume contraem e esticam a pele de forma pouco natural. No mesmo sentido, quem pratica musculação também está sujeito a “sofrer” com as estrias e aqui os homens estão, naturalmente, incluídos.
  • Gravidez: esta fase da vida de uma mulher está invariavelmente relacionada com as estrias, devido às diversas alterações que o corpo regista. Aproximadamente 75% das mulheres grávidas são afectadas e as estrias atacam principalmente no terceiro mês de gestação (seios e zona lombar) e no sexto (abdómen, glúteos e coxas).
  • Fármacos corticóides: a toma de medicamentos, injecções, cremes ou pomadas à base de corticóides provocam a retenção de líquidos o que, por sua vez, favorece o inchaço e a diminuição de elasticidade da pele – os inimigos número um das estrias.
  • Celulite: a odiada celulite já é um pesadelo para muitas mulheres e saber que também ela pode contribuir para a formação de estrias, não abona nada em seu favor! A celulite é uma acumulação de gordura na hipoderme, aliada à retenção de água e ao envelhecimento do tecido conjuntivo – ora este trio atrofia a circulação, o que diminui a quantidade de substâncias que nutrem os fibroblastos – as células responsáveis pela produção das fibras elásticas e colágenas.

Tratamento choque

Prevenção: prevenir é sempre o melhor remédio e no caso das estrias isso significa a hidratação diária do corpo, por dentro (consumir água) e por fora (não largue o seu creme hidratante!). Para além disso, aconselha-se a prática de exercício físico moderado, mas regular; a activação do sistema circulatória através de duches onde alterna entre jactos de água quente e fria; deixar de fumar; reduzir ou eliminar o consumo de refrigerantes e cafeína; evitar vestir roupas muito apertadas e que podem constranger a circulação.

Alimentação: as falhas nutricionais também têm a sua quota-parte de culpa no aparecimento das estrias, por isso, dê à sua pele tudo o que ela precisa para manter-se lisa e luminosa! Faça questão de consumir alimentos ricos em zinco (peixe, fígado, marisco, gema de ovo, beterraba, alface, couve, tomate, cenoura, cogumelos, espinafres, laranjas, alperces, frutos secos); em vitamina A (atum, espadarte, óleo de fígado de bacalhau, lacticínios, manteiga, queijo, brócolos, salsa, batata, abóbora, milho amarelo, manga, papaia, melão) e em vitamina C (couve-de-bruxelas, acerola, caju, amora, melancia, melão, laranja, limão, tangerina, abacaxi, kiwi, morangos, framboesas). Tanto o zinco como as vitaminas A e C contribuem para a produção de colágeno, uma substância que, para além de activar a circulação sanguínea, transporta nutrientes para as células da derme.

Cosmética: se é verdade que hoje existem cremes para todo o tipo de corpo e situação dermatológica, também as estrias não são excluídas deste cenário! Apesar de não serem milagrosos e não eliminarem definitivamente as estrias, os cremes confeccionados para esse efeito são agentes poderosos porque adelgaçam e disfarçam o seu aspecto, ajudando a prevenir o aparecimento de mais. Procure os rótulos que contêm os seguintes ingredientes: cafeína, retinol, magnésio, zinco e vitaminas A ou E. Aplique-os religiosamente e todos os dias, aproveitando para fazer massagens circulares, o que é óptimo para estimular a microcirculação. Sem esquecer os cremes anti-estrias especificamente desenvolvidos para as grávidas, que são sempre uma boa aposta e um ritual a seguir duas vezes por dia, ao longo dos nove meses de gestação e ainda no período pós-parto, aquando da recuperação da silhueta.

Tratamentos Estéticos

Injecções de vitamina C: uma variante da técnica de mesoterapia, uma solução contendo vitamina C é injectada nas próprias estrias. Para além de estimular a produção de colágeno, preenche as “covinhas” criadas pelas estrias, devolvendo-lhes, em simultâneo, a sua cor natural. Devido ao seu grau de dor médio-elevado, as injecções são precedidas por gelo e anestesia local, no entanto, a zona tratada pode apresentar inchaço e hematomas, sendo que não pode apanhar sol durante o tratamento. São necessárias pelo menos 10 sessões.

Microdermoabrasão: este aparelho de acção esfoliante utiliza micro-cristais de sílica e óxido de alumínio que provocam feridas na pele. Uma vez inflamada, a pele regenera-se, à medida que vai produzindo colágeno e elastina. Apesar de poder provocar inchaço, dores e até sangrar, após a cicatrização as estrias ficam mais finas e menos visíveis. Para ser eficaz, o tratamento deve incluir pelo menos 10 sessões e ser ministrado por uma técnica especializada.

Peeling químico superficial: este composto de alfa-hidroácidos provoca a descamação da pele e a formação de novas fibras elásticas. Indicado para todos os tipos de pele, pode ser aplicado em qualquer parte do corpo, é indolor e não provoca ardor. No entanto, durante o tratamento – que dever ser dividido em 10 sessões – terá de evitar a exposição solar, uma vez que há uma descamação completa da pele.

Laser vascular: o laser provoca uma queimadura superficial na pele que, para além de reduzir os vasos sanguíneos, eliminando a cor roxa das estrias, impulsiona a produção de colágeno e elastina. Uma vez cicatrizadas, as estrias ficam visivelmente reduzidas. A zona a tratar é anestesiada, no entanto, existe o risco de alguma sensação de ardor. Após 4 ou 5 sessões, pode conseguir o resultado desejado, porém, estas só poderão ser realizadas quinzenalmente.

Laser Cool Touch: tal como o próprio nome indica, este laser é gelado e, em vez de actuar na superfície da pele, penetra directamente na derme onde estimula a produção de colágeno e a subsequente renovação da pele. Como pode provocar sensações de ardor, uma pomada anestésica é aplicada na zona a tratar. O tratamento tem uma duração de seis sessões, realizadas quinzenalmente.

Comentários (1)
giseleh
Sábado, 15/12/2012 - 16:38
alguém sabe de algum creme que deixa as estrias mais finas,menos visiveis?