Siga-nos:

Fui traída! Guia de sobrevivência

 
Sexo & Amor

Fui traída! Guia de sobrevivência

Coração partido

Depois de alguns sinais que deram o alerta que o seu homem podia talvez estar a traí-la, investigou, perguntou e obteve a confissão que (não) esperava. E foi assim que entrou para o clube das mulheres traídas: um lugar onde ninguém quer estar, um lugar que já foi definido como o “inferno na terra”. Saiba como lidar com e sobreviver a uma infidelidade. 

Traição, um bicho-de-sete-cabeças

Os estudos realizados sobre a infidelidade nunca são 100% conclusivos porque tratando-se, naturalmente, de um tópico muito sensível (para ambos os sexos!), concluiu-se que os inquiridos neste tipo de pesquisas raramente revelam a verdade nua e crua. No entanto, existem números incontornáveis: os homens traem mais do que as mulheres (60% vs. 40%); mas ambos fantasiam ter uma relação extraconjugal (60% vs. 55%). No caso dos homens, a maioria das infidelidades acontecem nos primeiros quatro anos de casamento, mas voltam a trair entre o 20º e 24º aniversário de matrimónio; no caso das mulheres, a traição normalmente dá-se entre o 5º e o 9º ano de casamento. Quando questionados sobre os motivos que os levam a ser fiéis, as mulheres dizem que são leais porque querem que os parceiros também o sejam; os homens não “saltam a cerca” porque não querem confusões!

Então porque é que o fazem?

Os motivos por de trás da infidelidade são vários e, por norma, uma traição é uma consequência directa de algo que não está bem na relação existente. Subsistem vários tipos de infidelidade, começando pela mental – embora seja a menos óbvia (implica pensamentos ou fantasias acerca de outra pessoa, mas não vai mais longe do que isso), é aquela que pode instigar a infidelidade emocional (quando se partilha uma ligação e um afecto profundo com outra pessoa; embora não seja uma relação física, pode ser o início de uma) ou a infidelidade sexual (quando se procura a satisfação sexual com outra pessoa). Mas existem ainda outras motivações: a procura da novidade, um escape da rotina e da monotonia de uma relação de muitos anos, a afirmação da masculinidade/feminilidade (comum entre traidores compulsivos), atracção sexual ou simplesmente porque a situação proporcionou-se. Porém, a grande maioria das infidelidades masculinas nada tem a ver com amor ou envolvimento emocional.

Fui traída! E agora?

A descoberta de uma traição é o desmoronar de tudo aquilo que dava como certo até aquele momento. A pessoa com quem escolheu partilhar a vida quebrou o pacto do amor, da intimidade e da fidelidade ao envolver-se com uma terceira pessoa. Ao sentimento da incredulidade, junta-se uma dor e uma raiva indescritíveis. Sente-se sozinha, incapaz de perdoar e de voltar a confiar no seu parceiro. Não sabe se vai conseguir percorrer o caminho que se segue. Eis o que deve esperar numa primeira fase:

  • O choque inicial. Esta é a fase da incredulidade total – é incapaz de compreender que o seu companheiro esteve física, emocional e intimamente ligado a outra pessoa que não você. Passa os dias a reviver o tempo em que a infidelidade ocorreu, fazendo ligações e tentando perceber como é que não viu o que se estava a passar, como é que não viu que a sua vida se tornou uma mentira. Só lhe apetece “acordar” deste pesadelo.
  • Raiva e mais raiva. Lentamente, começa a aperceber-se que não se trata de um pesadelo, é a realidade a cores. Confrontada com esta realidade à qual não consegue fugir, os episódios de choro, de gritos, discussões, agressões e o partir de objectos são comuns – sente-se fora de controlo e é assim que vai agir. Nesta fase pode ainda sentir-se fisicamente doente e incapaz de sair da cama, de ir trabalhar ou de ver e falar com outras pessoas.
  • O desejo de vingança. Esta será, provavelmente, a fase mais complicada e onde poderá exprimir a sua raiva de formas muito perigosas, pouco saudáveis ou até mesmo ilegais. A fúria pode cegá-la, impedindo-a de pensar de forma clara e racional, o que pode trazer ao de cima o desejo de vingança. Pode começar a magicar e a planear maneiras de se vingar do seu companheiro ou até da pessoa com a qual foi traída. Ideias de como e com quem trair o seu parceiro começam a invadir os seus pensamentos, assim como formas de o magoar pessoal, profissional ou financeiramente. Nesta altura, é preciso pensar que esta é apenas mais uma fase e também esta vai passar. Tomar atitudes baseadas nas emoções e na dor vão provavelmente levá-la a fazer coisas sobre as quais mais tarde vai arrepender-se.
  • Dissipar a ira. Esta fase é marcada pelo fim dos episódios violentos e descontrolados, resultando num desgaste emocional onde a dor latente mantém-se. Demasiada cansada e esgotada até para chorar, chegou a altura de tentar uma reconciliação ou então colocar um ponto final na relação. Embora devastada, começa a raciocinar novamente, deixando de pensar na outra mulher e volta as suas atenções para a sua vida, para o seu companheiro e para a forma como vão resolver a situação.

Os 5 passos para a reconciliação

Poderá parecer estranho juntar as palavras “infidelidade” e “reconciliação” na mesma frase, mas o certo é que apenas 30% dos casais que enfrentam uma traição acabam por se separar. Ou seja, a esmagadora maioria consegue ultrapassar o adultério e, segundo psiquiatras, terapeutas e investigadores, a relação emerge mais forte do que nunca! Veja como:

  1. Recomeçar. Se escolheu o caminho da reconciliação, segue-se uma fase de intensa comunicação com o seu parceiro: toda a verdade terá de vir ao de cima (não se martirize ao querer saber os detalhes mais sórdidos) e terão de perceber o porquê desta traição. Exija do seu parceiro total honestidade, que cesse todo e qualquer contacto com a outra mulher (se ainda não o fez), que não desdramatize a situação, que não a culpe exclusivamente a si, esperando que esqueça o assunto de um dia para o outro. Se fez alguma coisa que possa ter contribuído para essa infidelidade, tem de assumir a sua quota-parte da responsabilidade. Este será um processo longo e árduo, onde também você terá de se questionar acerca do seu papel na relação e como melhorá-la. Se, por outro lado, optou por terminar a relação, esta será uma fase de intensa solidão, mas é importante reagir: procurar novos interesses, um novo sentido na vida, sem necessariamente ir a correr para os braços de outro homem (não estará preparada por um novo envolvimento emocional). O importante é não fechar-se em casa, deixando-se entregue à sua tristeza – quanto mais fizer isto, mais difícil será seguir em frente.
  2. Voltar a confiar. Uma comunicação aberta e franca sobre tudo aquilo que aconteceu, o que sentiram e o que sentem agora é meio caminho andado para voltar a estabelecer uma relação de confiança. O regresso a um dia-a-dia onde o seu homem está nitidamente a fazer um esforço para se redimir e voltar a solidificar a vossa relação é um bom sinal. Da sua parte, também terá de estar preparada para perdoar e para não dificultar uma situação que por si só já é complicada. Mais uma vez, este será um processo moroso e contínuo, mas que pode ser apoiado pelo estabelecimento de uma nova data para o vosso aniversário, uma mudança no vosso estilo de vida, a instituição de uma nova forma de comunicação, entre outros. O ideal não é procurar a relação que tinham, mas sim começar de novo.
  3. Lembranças e memórias. O que nunca vai poder apagar da mente serão nomes, lugares, ou momentos que vão recordar a altura em que o seu companheiro foi infiel: pode ser uma música muito popular naquela época ou o restaurante pelo qual passa quando vai ao dentista e onde sabe que eles jantaram frequentemente. Estas lembranças podem surgir a qualquer momento e não há nada que possa fazer para as evitar, apenas evite ficar obcecada com coisas que estão agora no passado, que não pode mudar e que no fundo está a tentar esquecer e enterrar.
  4. Estabelecer objectivos realistas. Quer queira, quer não, a relação com o seu parceiro nunca será como antes. Terá de questionar-se: consigo viver com esta nova realidade? Vou conseguir perdoar o meu companheiro e não falar sobre a sua traição todos os dias? Confio nele? Ele já assumiu a sua responsabilidade, a sua culpa? Tem-se dedicado à reconciliação? Foi totalmente honesto quando disse que nunca mais voltaria a acontecer nada semelhante? Se sim, a reconciliação é um objectivo realista. Se, por outro lado, o seu parceiro continua a desmentir o seu caso amoroso, não responde às suas perguntas, continua a agir de forma suspeita e/ou mantém o contacto com a outra mulher, terá de avaliar se vai conseguir viver assim. Talvez a reconciliação não seja uma meta razoável. Terá de pensar em si. Coloque-se em primeiro lugar.
  5. O novo eu. Com ou sem o seu homem, vai recuperar e bem. Vai demorar o seu tempo, mas sairá deste momento horrível uma pessoa mais forte, mais saudável, mais atenta. As lições mais importantes a retirar são: não pode entregar a sua felicidade numa bandeja a outra pessoa, nem estar totalmente dependente do seu parceiro, seja ele quem for. Cultive os seus próprios interesses e amigos, tenha uma vida própria – se a relação não sobreviver, terá uma rede de apoio; se sobreviver, esta será uma preciosa lição de vida e de crescimento pessoal. Já Nietzsche dizia: o que não me mata, só me fortalece.

Relações mais fortes

Está comprovado que os casais que conseguem sobreviver e ultrapassar uma infidelidade, acabam por sair dessa crise com uma relação mais forte do que nunca. Como? Para começar, reconheceram que não seria um obstáculo muito fácil de contornar e deram, um ao outro, o espaço e o tempo necessário para o fazer; não foram impulsivos e pensaram profundamente naquilo que era melhor para cada um; não se deixaram influenciar por familiares ou amigos; dedicaram-se em conjunto à reconciliação e comprometeram-se a serem honestos, comunicativos e capazes. Só o facto de terem ultrapassado, com amor e dedicação, um momento tão delicado como uma traição é o suficiente para fortalecer qualquer relação. Com uma nova linha de comunicação aberta, novas ideias, emoções e interesses vão reavivar a vida a dois. E já se sabe: quanto mais investir numa relação, maior e melhor será o retorno final.

Comentários (27)
Antonio Correia
Quarta, 31/07/2013 - 20:28
Bem pelo nome já se percebe que sou um homem, adentrando em um site feminino, mas gostaria de pedir licença e relatar que minha vida está perdendo sentindo após a descoberta que fui traído. Perde-se o rumo, norte e a razão da própria existência. Portanto é desta forma que me encontro hoje e por isso descobri que a maior dor que o ser humano pode ter e sentir é o Amor mas com dor. É exatamente isso que tenho sentido nos últimos 20 anos de um relacionamento de quase 26 anos. Alguém pode até dizer - Nossa como é que ele conseguiu sofrer por 20 anos e não fez nada?,...Tentei de tudo para resolver "meu" problema e apenas consegui a confissão depois de longos e dolorosos 20 anos. E descobri que não foi uma vez. Sei também nada é fácil, só quem passa por isso sabe do que estou falando. Sofro e muito, amo e amo muito, porém com uma dor escomunal e as vezes pergunto-me o que eu ainda estou fazendo aqui? mas tenho uma filha de 08 anos e tenho por ela um amor sobrenatural e acho que ainda não fiz besteira por achar que minha filha amada não é merecedora da minha morte por uma maldade que a mãe dela me fez. Porém não sei até quando conseguirei suportar, porque foram 20 anos, 02 décadas, 240 meses ou se preferirem 7.300 dias de uma dor desumana que representa 48% da minha vida, pois tenho 42 anos hoje. Desculpe-me por invadir este espaço que parece ser apenas feminino. Acho que minha alma e meus sentimentos são de mulher, pois amo tanto que aguento a dor de um punhal adentra em peito por tanto tempo, mas obrigado pela oportunidade de saber que existe alguém que possa estar me ouvindo, pois hoje estou só e não ter para quem desabafar faz meus dias serem sem graça e sem vida. Desde já agradeço e se tiver alguém que queira compartilhar esta doloroso experiência estou aqui. Abraços.
Hindiamara F Vicente
Domingo, 04/08/2013 - 13:37
Infelizmente tbm passei por este inferno chamado traição e tomei a infeliz decisão de dar uma chance e hj me arrependo pq me lembro tds os dias e até já tentei tirar minha vida , mas hj vejo q a melhor coisa seria encontrar um homem q realmente saiba dar valor em mim e q não seja covarde como o outro ... Fui casada durante 15 anos , tenho 2 filhos ( 14 e 6 anos ) q são as únicas coisa boa de casamento pq pra mim agora o resto foi uma mentira , tenho 34 anos e td q acabei de ler é o q eu estou sentindo ainda ... Quando descobri tudo ele me falou q tinha se arrependido , q nunca sentiu nada pela outra , eu fiquei tão mal q ele até me levou em uma psicologa , achei q ele tinha se arrependido de verdade mas descobri q ele continuava trocando msg e ligações com a outra , eles até se tratava como namorados e ele tinha até uma foto dela no visor de um celular q ele deixava na empresa ... Descobro td isto pq achei um face dele com um nome falso de Markovam Vanadium e então mexi até descobrir a senha e quando descobri quase infartei com o q vi e li na quele lugar , arrumei forças nem sei de onde e comecei a falar com as mulheres e homens q tinha la e tds achavam q era ele e respondia e foi ai q descobri quem era a mulher q ele saia ... ela falou q saiu com ele duas vezes , q ela foi 2 vezes na empresa onde ele trabalha na hora da janta e a outra vez no estacionamento do shopping vcs não fazem ideia de como tive q fazer pra saber td isto , nossa foi um horror ... Sempre fui fiel a ele como um cachorro e hj sinto até vergonha por ter feito papel de idiota por tanto tempo ... gostaria de contar toda a historia pra vcs mas entrar em detalhes me machuca muito ... desde já agradeço pela oportunidade .
Giu
Terça, 17/09/2013 - 16:39
HINDIAMARA , imagino a sua dor... descobri um traicao recentemente e sei como doi... espero que tenha muita forca para superar...
Edilma
Terça, 17/09/2013 - 17:14
Fui traída pelo meu marido pelo sites de relacionamento ,perdoei-o
Edilma
Terça, 17/09/2013 - 17:50
Fui traída recentemente ,descobrir a dois dias meu coração sangra ,perdoei-o ,não consigo ser com ele como era antes,me ajudem por favor quero ajuda
ISABEL CRISTINA
Quarta, 02/10/2013 - 21:11
Coo faço pra falar com vc que escreveu o depoimento no dia 31/07/2013 as 20h:38? Aguardo retorno.
Ariane Silva
Segunda, 07/10/2013 - 06:31
Eu descobri que fui traída pelo meu marido depois de 10 anos casada. Ele nunca me fez sofrer um marido e pai mas do que perfeito não intendo porque ele fez isso eu não sou perfeita mas também não me culpo pelo seu erro. Eu fui traída por ele mas o pior de tudo ela e a ex esposa do meu irmão . Ele chora ajoelha faz de tudo para mim não largar ele eu estou tentando perdoar mas estar sendo difícil principalmente porque depois da traição ele começo me tratar muito mal eu fiquei sabendo 2 anos depois que a traição aconteceu nesse meio tempo de recuperação tentando restaurar tudo que foi quebrado as lembranças dos nossos dias mas feliz juntos como o dia do nascimento do meu filho mas novo ela estava lá do meu lado e ele também apesar da traição do meu marido tenho que lembrar que fui traída por ela também porque eu tinha ela como uma irmã eu não entendo com duas pessoas mas próxima a mim que eu mas amo e confiava nesse mundo inteiro pode fazer essa mostruozidade com migo as vezes eu acho que vou conseguir perdoar mas a verdade e isso esta destruindo a minha vida eu me cinto muito sozinha e confusa. O meu marido está fazendo de tudo para restaurar nossa casamento mas eu não não acredito que ele pode levar uma vida normal sem trair sem segredos e com 1 mulher para o resto de sua vida mas tenho fé em Deus e vou dar uma chance para ele mas o medo de ser decepcionada de novo e maior do que o amor que eu sinto por ele :(
joana1973
Sexta, 11/10/2013 - 01:24
Infelizmente também fui traída depois de um casamento de 14 anos de fidelidade e cumplicidade pelo menos da minha parte, mas foi muito difícil no início bloquei,descompensei e engordei com o maldito anti-depressivo e com 2 filhos menores estava a entrar numa profunda depressão,isolei-me e tinha o meu ex-marido a pedir perdão pela pequena traição que não passara de uma aventura ( descobri mais tarde que já durava à 3 anos) a minha vida estava a desabar ou já tinha desabado apenas sobrevivia pelos meus filhos e está com ódio do " traste" deixei de ser mulher, de tudo não pensava até que numa visita de rotina à farmácia encontrei uma amiga de infância e finalmente desabafei com alguém e depois de 2 a 3 horas de lamento da minha parte disse-me assim "querida Joana também me aconteceu o mesmo mas a mulher que a traiu foi apenas a sua irmã, e levantei-me e tu também o vais fazer, primeiro vamos tornar-te a voltar a seres uma mulher e 2 traçar uma pequena vingança ao teu marido" e depois logo veria seria queria manter o meu " maravilhoso casamento" e agora digo-vos amigas, comigo deu resultado, vinguei-me, separei-me e os meus filhos estão felizes por voltarem a ter a mãe de volta,relativamente ao ex-marido vejo-o e só posso dizer que ficou bastante pior do que eu estava antes de encontrar a minha amiga! Bjs e felicidades PS: ao senhor que escreveu tão bem o que lhe vinha na alma e no coração,se me permite a minha modesta opinião, lute pela estabilidade emocional da sua menina de 8 anos e pelo seu amor, mas volte a ser feliz e procure ver qual o melhor caminho para ambos
eu ale
Domingo, 17/11/2013 - 14:54
depois de 15 anos de casamento onde eu sempre fui fiel e feliz, vim a descobrir recentemente q fui traída por meu marido sinto-me péssima um lixo uma dor sem fim escolhi tentar perdoo-lo porém qualquer reação diferente dele me deixa amedrontada pois a dor é mt ruim tenho 2 filhas e ele diz que se arrependeu eu tenho 36 e a outra 18 ele 39 é mt dificil aceitar mais eu to tentando se nao der certo pelo menos eu tentei......
Simone Santos
Domingo, 24/11/2013 - 14:22
Estou aqui pelo mesmo motivo de todos traição uma palavra terrivel e maldosa, tenho 47 anos e meu marido 49 sou casada há 28 anos tenho dois filhos uma de 28 e outro de 19 minha filha ja casada e espera seu primeiro filho enfim em dezembro nasce meu neto, em 2009 descobri que meu marido estava me traindo comecei a desconfiar ele só ficava no celular quando perguntava com quem estava falando dizia que era um colega da empresa onde trabalha começou a ficar na internet até de madrugada e eu ate então estava sem noção do que estava acontecendo até que um dia peguei ele na garagem de casa conversando com uma pessoa marcando encontro que só podia vela na sexta feira ai minha fixa caiu fiquei muito nervosa meu mundo desmoronou a pior dor do mundo perdi a vontade de viver meus filhos me apoiaram queriam que me divorciasse dele sofri muito mais continuei meu casamento por amor perdoar não sei se perdoei mas continuei mas sempre desconfiada que ele continuava me traindo e ele sempre negando enfim no ultimo dia 22/11/2013 na manhã desse dia meu marido chegou do serviço trabalha a noite como sempre fez café comprou pão e saiu mas eu fui ver se ele tinha saido com o carro quando entrei na garagem escutei barulhos qual não foi minha surpresa meu marido sentado semi nu e a mulher que ele estava tendo relação correu para dentro do carro fiquei pasma com que vi corri ate o carro a mulher segurando a porta para que eu não abrisse meu marido me segurando foi terrivel gritei chorei meu marido me traindo na minha propria casa comigo em casa não falei para meus filhos não contei a ninguém estou desesperada ele chorou disse que não quer perder a familia me pede perdão disse que vai ser outro homem me horientem pelo amor de Deus. Agradeço.